sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Confraria do Peba - Carta de Intenções



                      Dimas Macedo









             A Confraria do Peba é uma Instituição Social e um Movimento de caráter cultural e ecológico, criada pelo poeta Dimas Macedo e por um grupo de amigos desse escritor cearense, cujo objetivo é a defesa dos valores da tradição e da ecologia sertanejas, aí incluídas a fauna e a flora do sertão nordestino, seus usos e costumes e a sua mitologia.

             Entre os criadores desse Movimento Social, além de Dimas Macedo, figuram a escritora e publicitária Cristina Couto, o poeta e folclorista Barros Alves, o escritor João Gonçalves de Lemos (Presidente da Academia de Ciências Sociais do Ceará), o professor Alzir Oliveira, o economista Jeová Batista de Moura, o empresário e Vereador à Câmara Municipal de Fortaleza, Solário Macedo (o Bom Bibi), o crítico de cinema Walter Filho, o Promotor de Justiça Pinheiro de Freiras, o jornalista Rodrigo Almeida, o empresário Carlos Castelo, o geólogo Antônio Torquato, o cordelista e educador Vicente Lemos, os Advogados: Nicola Miccione, Augusto Figueiredo, Marcelo Holanda e Gladson Mota, e Presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro.

             A Confraria elegeu o Tatupeba como símbolo da resistência sertaneja e como expressão de defesa dos seus valores, foi criada em 14 de setembro de 2012, tem sede na cidade de Fortaleza e encontra-se disponível no seguinte endereço eletrônico: www.confrariadopeba.blogspot.com

             Além dos criadores desse movimento, serão considerados integrantes da Confraria do Peba os que vierem a se tornar seguidores desse Blog e desse Movimento social.

                  Fortaleza, 14 de setembro de 2012







          

Um comentário:

  1. Muito adequada a escolha desse elemento-símbolo, haja vista sua similitude estético-fisionômica com o sertanejo, essencialmente o "cabeça chata" que usa chapéu de couro e singelamente se dispõe à contemplação e até ao pasmo dos que lhe passam ao derredor, como se querendo dizer: "Sou retrato do ambiente em que nasci e aqui teimo a peleja diária, se não por viver, pela sobrevivência, como fizeram meus pais e antepassados e ancestrais, como fará minha descendência.

    ResponderExcluir