sábado, 11 de janeiro de 2014

Roteiro de Itamar Filgueiras

                Dimas Macedo


                 Filho do agricultor José Tavares Filgueiras e da professora Julieta Macedo Filgueiras, José Itamar de Macedo Filgueiras nasceu em 16 de maio de 1944, na cidade de Lavras da Mangabeira (CE), onde passou a infância. Foi alfabetizado e preparado para o exame de admissão ao ginásio por sua genitora.

              Aos 12 anos, ingressou no Seminário do Crato, onde cursou, como aluno interno, o ginásio e o colegial, transferindo-se para o Seminário da Prainha, em Fortaleza, onde esteve matriculado até 1965, quando convenceu seus familiares que não possuía vocação para o clero.             

              Desligando-se do Seminário, prestou vestibular para o curso de Letras da Universidade Federal do Ceará e se iniciou na profissão para a qual realmente tinha vocação: o magistério. Começou como professor de Língua Portuguesa do Curso de Admissão ao Ginásio do Centro Educacional Agapito dos Santos, em março de 1966.

               Mesmo trabalhando dois expedientes e estudando no terceiro, cursou a Faculdade de Letras da UFC com brilhantismo, formando-se em 1969, quando já se encontrava casado com a professora Luzia Filgueiras, com quem teve três filhos e partilhou sua vida até a morte.

               Como professor de Língua Portuguesa, atuando prioritariamente no Ensino Médio (ou equivalente), foi corresponsável pela educação escolar de várias gerações de alunos de muitos colégios de Fortaleza, tanto na rede pública como na particular.

                Logo após a formatura, prestou concurso – e passou em primeiro lugar – para o Colégio Municipal Filgueiras Lima e para a rede estadual de ensino, sendo lotado no Colégio Castelo Branco, onde atuou, inclusive, como vice-diretor.

               Na rede particular ensinou nos colégios Capistrano de Abreu, Cearense Sagrado Coração, Sistema, Gustavo Barroso, Castelo, Rui Barbosa, Santa Cecília (onde foi coordenador da 3ª série do 2º grau), Christus, Geo-Stúdio (do qual foi sócio fundador), Batista Santos Dumont, Master e 7 de Setembro.

               Em Fortaleza, destacou-se com um dos mais renomados professores que atuaram na preparação de alunos para o vestibular, tendo ensinado Língua Portuguesa nos cursos pré-vestibulares: Instituto Pedagógico Cearense, Tony, Gregório Mendel, Cipam, Impacto, Skema, Positivo e Geo-Stúdio.

              Prestou serviço junto à Secretaria de Educação do Ceará, como Professor de Língua Portuguesa, em cursos de reciclagem para professores; como membro da equipe elaboradora dos currículos de Língua Portuguesa e Literatura e como membro de bancas examinadoras de concursos, na área da sua especialiudade.

              Em 1977, ingressou como professor na Universidade Estadual do Ceará, onde lecionou até a sua aposentadoria. Ali, além de exercer atividades de ensino, foi Coordenador da Área de Comunicação e Expressão do Ciclo Básico e membro de Comissões Examinadoras de Concursos para Professor de Literatura Portuguesa.

             É autor de várias apostilas de Língua Portuguesa, adotadas nos cursos Pré-Vestibulares em que foi professor, sendo de sua autoria o livro – Fale e Escreva Corretamente, livro-texto dos cursos de língua portuguesa do Espaço Cultural Itamar Filgueiras, do qual foi o único professor e proprietário.

            O Espaço Cultural Itamar Filgueiras e o Curso por ele ministrado, funcionaram durante vinte anos e destinavam-se a pré-vestibulandos, profissionais liberais e demais interessados num melhor domínio da língua portuguesa, constituindo o mais conhecido e conceituado curso dessa especialidade existente em Fortaleza.

             Além das suas atividades como professor, destacou-se como parecerista em questões de Língua Portuguesa, em matéria referente a recursos de correção de provas e no pertinente à revisão de monografias, teses e livros de diversos gêneros.

            A sua dedicação ao magistério, o seu devotamento à causa da cultura e a sua retidão moral lhe renderam diversos tributos, destacando-se, entre eles, o título de Cidadão de Fortaleza e a condição de integrante da Academia Cearense da Língua, tendo falecido aos 05 de abril de 2012.

            Um ano após a sua morte, o Espaço Cultural Itamar Filgueiras foi incorporado ao patrimônio do Grupo Educacional Evolutivo, de Fortaleza, onde foi inaugurado um busto em sua homenagem.

Um comentário:

  1. Bela e merecida homenagem para esse ilustre cidadão e insigne mestre da Língua Portuguesa. Foi Itamar Filgueiras, sem dúvida, um notável professor que se dedicou de corpo e alma à causa do ensino. Trabalhador incansável. Mesmo revelando cansaço em seu rosto, após ensinar o dia inteiro, ao término de suas aulas noturnas, ele tinha o prazer de permanecer ali, em sua aula, para ficar à disposição de seus alunos para tirar-lhes quaisquer dúvidas de gramática e/ou para instruí-los em algo que fosse necessário. Esse probo cidadão, de conduta impoluta, ao partir, nos faz muita falta e nos deixa imensa saudade. (J. Udine)

    ResponderExcluir