sábado, 11 de janeiro de 2014

Leitura e Conjuntura - 30 Anos Depois

               Dimas Macedo
 
 
                Reúnem-se, neste pequeno volume, diminutos escritos redigidos em diferentes oportunidades, sendo todos de conhecimento do público, porque respigados em jornais e revistas fortalezenses. A razão do enfeixamento des­tes artigos sob um mesmo título, prende-se ao fato de guarda­rem em comum uma mesma unidade - todos resultam em curtos e despretensiosos comentários à margem de algumas leituras que, por um motivo ou outro, nos pareceram proveitosas.

As modestas recensões que aqui se dão à estampa, outro objetivo não têm senão o de chamar a atenção dos seus possíveis leitores para a produção intelectual destes inquietos arte­sãos da escrita, aqui representados através desta descolorida resenha, que tem mais propensão noticiosa do que propriamente crítica.

E a crítica, que aqui se pretende, embora desforrada de qualquer vocação estruturalista, não seria, ao que se pode à primeira vista supor, uma crítica impressionista. Eu diria que em alguns destes artigos, talvez até mesmo sem me aperce­ber, eu desenvolvi uma crítica ideológica.

A oportunidade que tenho tido de descobrir instantes tex­tuais consideráveis, e o gosto pela pesquisa e a sistematização literária, são, por assim dizer, as determinantes que nos ani­mam a organizar a presente coletânea.

Cataloga-se, nesta proposta, breve seleção de nossa mili­tância de observador, do que contemporaneamente se edita nesta província cultural que é o Ceará. Os livros comentados são todos de autores cearenses ou de escritores que de uma forma ou de outra gravitam em torno da nossa ambiência lite­rária.

Nos textos que seguem, procuramos, na medida do possível, guardar a estrutura e a linguagem com as quais apareceram na imprensa de Fortaleza e na primeira edição deste livro, na tentativa de manter a coerência dos juízos anteriormente expen­didos, que convêm predomine na presente realização editorial.

No mais, como pode perceber o leitor, na elaboração destes artigos não se buscou aprisionar qualquer metodologia ou parâ­metro de análise literária, mesmo porque, não nos acudiu, em nenhum momento, qualquer rigor científico, ou mesmo siste­mático.

São textos breves e, por conseguinte, desprovidos de maio­res indagações. São opiniões de um leigo, de um principiante no trato do assunto. Antes de tudo, porém, são juízos de valor, de aquilatação, de perquirição axiológica e de prospecção entre textual.

Um exercício modesto de um leitor curioso. Um trabalho de quem procurou meditar o que aprendeu, de quem buscou compreender algumas circunstâncias de uma questionada e con­gestionada literatura regional.

                                                                               Fortaleza, 25 de janeiro de 1984

Nenhum comentário:

Postar um comentário