sábado, 20 de julho de 2013

O Sonho de Gilberto Milfont



             Dimas Macedo
   
 
                                                                                            Gilberto Milfont


Cantor, compositor, seresteiro e poeta, nasceu João Milfont Rodrigues, conhecido por Gilberto Milfont, em Lavras da Mangabeira (CE), aos 7 de setembro de 1922. Filho do tabelião José Fonseca Rodrigues (Primo Rodrigues) e de Maria Milfont Rodrigues.

Com pouco mais de um ano, transferiu-se para Fortaleza, onde passou a infância e adolescência, com seus avós, e se iniciou na música como cantor e compositor. Em 1943, mudando-se para o Maranhão, fez temporada na Rádio Timbira de São Luís, de onde saiu para a Rádio Tabajara de Natal, em 1944.

 Fez temporada na Rádio Clube de Recife e, em 1945, na Rádio Sociedade da Bahia. Aos 2 de janeiro de 1946, já no Rio de Janeiro, iniciou  temporada na Rádio Mayrink Veiga, passando depois para a Rádio Tupi, e desta última para a Globo.

 Posteriormente, já na condição de profissional, fixou-se na Rádio Nacional, na qual permaneceu de 1948 a 1978, quando ingressou na TV Educativa do Rio, onde realizou diversas apresentações e obteve sucesso memorável.

Autor de mais de 500 composições musicais, com participação em mais de 40 LPs, em 1947 apareceu seu primeiro sucesso de carnaval: “Meu Prazer”, composta por Haroldo Lobo e Milton de Oliveira. No ano seguinte, assim como em 1949 e 1950, ganhou sucessivos carnavais cariocas, com as músicas “Um Falso Amor”, “Batendo Cabeça” e “Pra Seu Governo”, todas da autoria de Haroldo Lobo.

Aplaudido nos melhores palcos brasileiros, Gilberto Milfont gravou pela RGE, RCA, Chantecler e Continental, fez a série Cem Anos de Música Popular Brasileira e, no final dos anos 60, num concurso de âmbito nacional, foi escolhido o Melhor Seresteiro do Brasil.

 Entre os seus grandes sucessos, cabe destacar: “Pra Seu Governo”, “Senhora”, “Geremoabo”, “Batendo Cabeça”, “Maringá”, “As Aparências Enganam”, “Castigo” e “Timidez”. E a sua mais conhecida composição musical, “Reverso”, foi gravada por Sílvio Caldas, Orlando Silva, Dalva de Andrade, Chico Alves, Tito Madi e Trio Los Panches (no México).

 Foi membro da Comissão de Assuntos Culturais do MEC, para onde foi aprovado em 1º lugar, pertencendo à geração dos melhores nomes da MPB, como Sílvio Caldas, Orlando Silva, Dalva de Oliveira, Chico Alves, Carlos Galhardo, Altamiro Carrilho e Nélson Gonçalves.

Em 1978, foi escolhido para integrar o Projeto Pixinguinha que percorreu o Brasil de Sul a Norte, divulgando a MPB. À sua carreira de músico foram dedicados dois programas do Projeto Minerva, e as glórias e conquistas de sua vida artística mereceram reportagem dos principais jornais e revistas do Brasil.



Um comentário:

  1. Amigo DIMAS MACEDO, esse lavrense foi mesmo um GRANDE sucesso. E o SEU texto me levou a clicar no YouTube para ouvir (estou fazendo isso agora) as músicas na voz seresteira de GILBERTO MILFONT.]

    ResponderExcluir