segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Fátima Lemos - Moinhos do Tempo

              Dimas Macedo

  
           Maria de Fátima Lemos Pereira Cândido ou Fátima Lemos, como é conhecida no campo literário, é natural de Lavras da Mangabeira. Foi alfabetizada por sua mãe, a professora Ester Lemos, com a qual estudou até a segunda série primária, tendo Sebastião Pereira de Sousa, seu pai, como referência.

           Fátima fez o seu aprendizado, igualmente, com a professora Socorro Oliveira, e iniciou o ginasial no colégio da CENEC, em Mangabeira, transferindo-se para Fortaleza em 1970, onde concluiu o primeiro grau no Colégio Estadual Marwen, cursando o pedagógico no Instituto de Educação do Ceará e no Colégio Capistrano de Abreu.

           Na Universidade Estadual do Ceará (UECE) cursou licenciatura Plena em História, e ali concluiu a sua formação em Pedagogia, com habilitação em Administração Escolar, fazendo na Unifor o cursou de Especialização em Família – Uma Abordagem Sistêmica.      
           Em 1972, iniciou sua carreira de professora no Colégio Casimiro de Abreu, no Carlito Pamplona e, em 1976, foi contratada pelo Governo do Estado para integrar o quadro de professores fundadores do Colégio Estadual Paulo VI, em Mangabeira, seu distrito de berço.

Ainda como professora da rede pública de ensino, trabalhou no Colégio Dom Quintino, na cidade do Crato, e na Escola Normal de Juazeiro do Norte. De volta à Fortaleza, em 1980, fez-se professora da Escola Estadual Maria Gonçalves, assumindo nesse período a Coordenação Pedagógica do Colégio Monteiro Lobato, do seu tio, o professor Paulo Crispim.

           Em 1984, fundou o seu próprio estabelecimento de ensino, a Escola Professora Maria Ester, hoje Colégio Maria Ester, com serviços prestados às comunidades da Serrinha, Passaré, Itaperi e bairros vizinhos.

           O Colégio Maria Ester, sob sua orientação, é muito conceituado em Fortaleza. Conta com aproximadamente mil e quinhentos alunos, e mantém uma Academia de Letras, a Academia Maria Ester de Leitura e Escrita (AME), formada por crianças e jovens das duas unidades de ensino.

            Pedagoga de renome, em todo o Ceará, tem como referência teórica principal os ensinamentos de Paulo Freire. Escreve textos pedagógicos para pais e professores, que são divulgados no jornal Perspectiva, do Colégio Maria Ester, e em seminários, cursos e palestras por ela ministrados.

            É autora de dois livros infantis de caráter pedagógico: Lili, a Boneca de Pano e Veloso, o Gatinho Congelado, ambos publicados em 2009, e de um livro de ensaios e poemas: Histórias Para Contar e Poemas do Meu Viver (Fortaleza: Premius, 2010).

            A sua formação pedagógica e o domínio da Literatura Infantil fazem do seu nome uma legenda. Trata-se de pessoa afável e afetuosa e de escritora de texto sutil e elegante, surpreendo-nos, de quando em vez, com o exercício da sua produção, como é o caso do seu livro – Moinhos do Tempo (Fortaleza, 2016) –, no qual ela desata os alforjes e lima os seus poemas e os seus textos em prosa, ajustando, com tecidos de linho, a sua arte literária.

            A modéstia com que constrói a sua trajetória, pondo cimento e areia e apenas um pouco de fermento no seu texto, não nos deixa ver, de permeio, a importância e o significado que a sua obra representa.

            O seu novo livro, Fátima Lemos expõe o seu universo estético e criativo, elevando a sua escritura literária a uma estação ainda mais eloquente, o que faz desse conjunto de textos um relicário aberto para a fruição dos sentidos.

 Apesar das atividades que desenvolve em Fortaleza, sempre dispõe de tempo para colaborar com o seu Município, ali proferindo palestras para pais e professores e integrando uma equipe de voluntários que desenvolve atividades em prol da Paróquia de São Sebastião.

  Integra, como sócia titular, a Academia de Letras dos Municípios do Ceará, a Academia Feminina de Letras do Ceará, a Academia Lavrense de Letras e a Ala Feminina da Casa de Juvenal Galeno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário