sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Roma, Florença e Veneza


               Dimas Macedo

 


A) Roma
 
                                                                 Em Roma, Com Lúcia,
                                                                  na Fontana de Trevi

 
             Roma é uma das cidades mais belas do mundo. Num primeiro contato com a urbe, ainda na estação Termini, o entroncamento central de trens e metrôs, podemos encontrar diversas opções de hospedagem, e dali é possível partir, sem nenhum problema, para vários pontos da cidade. Mas a Roma dos seus sonhos também pode ser conhecida de ônibus ou preferencialmente a pé.

 
                O Metrô possui duas linhas e, para mudar de rota, o eixo será sempre a estação Termini. O Metrô é de boa qualidade, mas não tem acesso a algumas zonas. No mais, a partir da meia-noite, há pouca coisa funcionando. Os mapas, com roteiros de trens ou metrôs, podem ser obtidos na própria Estação. 

             Próximo à Estação Termini e à rede de hotéis ali localizada, existem restaurantes e cantinas excelentes, especialmente preparados para lhe servir. Aí o turista já se encontra no melhor caminho, e com uma boa taça de vinho italiano começa a entrar no clima da cidade.

             Nessa região da cidade, acham-se localizadas algumas igrejas, tal como a de Santa Maria Magiori, assim como muitos monumentos que vão nos levando até à Praça da República e depois à Praça Veneza. Mas não devemos nos apressar na nossa caminhada, pois Roma é uma cidade que sempre nos espera.

              Em Roma, não podemos deixar de ver: a) o Coliseu; b) o Fórum e o Palatino (na mesma área do Coliseu); c) os Museus Capitolinos (como são dos mais caros e ficam próximo do Coliseu, a visita pode ser feita no mesmo dia); d) a Fontana di Trevi (visitas podem ser feitas durante o dia e à noite, pois o astral é bem diferente); e) o Trastevere à noite e a Piazza Navona.

              Seria também imperdível e imperdoável não visitar as Escadas da Praça da Espanha (com foto obrigatória) e sair andando pelas lojas em frente, descer pela Via Condotti, apanhar a via do Corso e se perder por lugares que são absolutamente tentadores.
 
               A Praça e a Basílica de São Pedro são lugares obrigatórios, e Cúpula da Basílica de São Pedro vale a pena ser acessada, custando apenas cinco euros os seus quinhentos degraus. Mas uma parte pode ser feita de elevador, por sete euro, apenas. Outra opção recomendada é uma visita ao Museu do Vaticano, com passagem pela Capela Sistina.
 
 B) FLORENÇA
 
                                                                          Florença: Catedral de Duono

            A cidade de Florença, que é considerada uma das mais bonitas da Europa, é um museu a céu aberto. Existem muitos restaurantes próximos aos hotéis, e lugares para visitar de forma obrigatória: a Galeria dell'Academia e o David de Michelangelo, ou ainda a Galleria Uffizi, considerada um dos melhores museus da Europa. Esse museu reúne obras como O Nascimento da Vênus e A Primavera de Botticeli e A Anunciação de Da Vinci.


        Sair caminhando de qualquer hotel até a Catedral de Duomo e ali contemplar o seu Campanário (esculpido pelo gênio de Giotto) ou o Batistério (onde se encontra o registro de nascimento de Dante), e depois seguir a até a Ponte Vecchio e sentar-se em um restaurante para uma refeição ou um drink, vendo a movimentação da cidade, ou assistindo o pôr-do-sol a partir de uma bonita perspectiva, é uma das melhores coisas que podemos fazer na Europa.


              A marca registrada em Florença é a atmosfera do Renascimento, a imponência dos traços sociais e políticos da Família Médici, uma das mais tradicionais da Europa, na época em que produzia Papas, políticos de renome e banqueiros que fizeram a glória da Itália.

             Além dos seus importantes museus, essa bela cidade italiana se destaca pela existência, ali, da Academia de Belas Artes de Florença, a mais conhecida escola de formação de artistas plásticos, estudiosos e críticos de arte, durante o século precedente.
 
            As ruas e vitrines de Florença são suntuosas; os seus cafés, sutis e tentadores; e a sua arquitetura, fascinante. Conhecer Florença a pé, corresponde à aventura de visitar um museu de qualidade, sem a necessidade de pagar ingresso. Florença faz lembrar Maquiavel, Lourenço de Médici e Dante Alighieri, isto é, o esplendor da política, das finanças e da poesia de alcance universal. 
 
 

C) VENEZA


                                                                                  Em Veneza, com Lúcia,
                                                                                   na Ponte do Rialto

             Em Veneza, o ideal seria hospedar-se na própria cidade e sentir a sensação de estar flutuando em um grande navio, dividido em cômodos por todos os lados; mas você pode optar por um hotel situado em Mestre, com fácil acesso aos vaporetos que ligam o continente à bela ilha de Veneza.


          Os famosos vaporetos deslizam pelo Grande Canal, que é como uma bela avenida marítima, ao longo da qual os nobres foram construindo palácios de diversos estilos que se conjugam num quadro perfeito. Os locais de destaque são: a Praça São Marcos, a Ponte da Academia, a Alfândega e a Ponte Rialto, um dos símbolos de Veneza que desmoronou e foi reconstruído no século XVI.


             Toda a cidade de Veneza é uma joia preciosa, lapidada pelo homem, o tempo e a natureza. O Teatro de la Fenice, a Igreja de São Moisés, a Igreja e a Praça de Santa Barnaba, as Igrejas de Nossa Senhora dos Remédios, de Santa Maria Gloriosa, de San Giovanni e de San Paolo, e a do Cristo Redentor, na Ilha da Guidecca, e bem assim a Ilha de São Jorge, com vista da Praça São Marcos, constituem um luxo para o viajante.


              Se estiver acompanhado e quiser desfrutar de uma experiência exclusiva, a sugestão é um passeio de gôndola, acompanhado de um tenor privativo. Enquanto estiver encantado com a ópera e com a bela paisagem de Veneza, a pedida é uma boa taça de champagne – isso no mínimo é muito romântico e será sempre inesquecível.


              Mas Veneza não é apenas isso. Como toda cidade que se preza, ela possui os seus encantos, as suas seduções e os seus mistérios, que se revelam a cada viajante de uma forma toda especial. Mas o que fica de Veneza é o seu glamour e a sua atmosfera de cidade que aparentemente flutua sobre as águas.




 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário